Céu da Itália

Sou ateia e está tudo bem.

. 0 Comentários .
In Vida

Assim como na bissexualidade e no vegetarianismo, o ateísmo me trouxe pessoas com perguntas idiotas. Sempre tem alguém pra dizer “ah, então você é atoa?” Não, não sou. Só não acredito em deus.

Quando convidei meu pai, católico, para visitar o Templo Zulai comigo, ele me disse: “Você pode até ser budista, mas ateu não.” Sim, ele disse ateu no masculino. Não respondi nada na hora. Ele ainda achava que eu estava budista1. Digo estava porque era uma das crenças que tentei ter ao longo dos anos. E foi a última.

Diferente de religião, que você pode escolher, não dá para escolher ser ateu. “Nossa, acho que hoje serei ateu!” Não, não funciona assim. Também não acredito que alguém que se diga ateu por estar com raiva de deus (qualquer um) seja realmente ateu. Pense comigo. Para você ter raiva de algo ou alguém você precisa acreditar naquilo, certo? Então…

Ouvi o Doutor Drauzio Varella num bate-papo no canal do Pirula dizer: “pessoas como eu, você que não são religiosas, mas dizem que acreditam num ser superior estão sendo falsas, porque elas não acreditam. Elas ficam falando por quê? Para não enfrentar a repressão dos religiosos, dos religiosos fervorosos que não entendem que possa haver outra forma de enxergar o mundo, de enxergar a vida.” Comigo foi mais ou menos assim.

Sempre tive problemas em acreditar em várias coisas dentro das religiões. Comecei a questionar fatos e comportamentos na adolescência, mas mesmo assim continuei católica. Até fui me engajar mais dentro da igreja para conhecer melhor e ver se algo sanaria minhas dúvidas, e, enquanto elas só cresciam, os egos inflados dos paroquianos me encheram o saco. Então comecei a pesquisar religiões supostamente mais afetuosas, mais humanas e encontrei o espiritismo, o budismo, o hinduísmo. Todas elas tem algo que pra mim não faz sentido e nem nunca vai fazer: a reencarnação. Se para você faz, não se sinta ofendido; para mim não faz. Além da questão dos egos humanos e dos egos do seres superiores. Ô galera para ter ego inflado estas, hein. No final das contas, fiquei nesta vibe que o Dr. Drauzio mencionou de dizer acreditar num ser superior só para não gerar discussão, não ser crucificada e, principalmente, não excluída. Neste tempo continuei a estudar e cheguei a bela conclusão que nunca fui uma pessoa boa ou ruim por motivos religiosos. Minha moral nunca foi moldada pelos castigos de deus nem nunca fiz o bem para alguém em troca de São Pedro me arranjar um banquinho para sentar no dia do juízo final.

Quando percebi que os fatos científicos respondiam muitas coisas e que minha moral não tinha nada a ver com nenhum ser superior, assumi para mim mesma que, OK, posso me aceitar ateia sem medo, porque é o que eu sou. Minha moral não vai mudar porque não acredito em nenhum deus, não vou voltar a comer carne, não vou deixar de ajudar alguém em necessidade porque não acredito em nenhum deus, aliás farei isso com muito mais amor no coração que antes.

Um tempo depois quando passávamos na frente de um cemitério, meu pai voltou ao assunto: “Você não acredita mais em Deus, né?” Já esperando um sermão, eu disse não. Ele respondeu apenas “hum, tá bom”. Não sei se ele aceitou muito bem, mas ele respeitou, que é muito mais importante.

Outro dia rolou um diálogo assim:

— Mas como é uma pessoa ateu?
— Geralmente tem dois braços, duas pernas, dois olhos…
— Não! Quero dizer, em que ela acredita?
— Oras, na ciência.
— Mas em algum momento de sofrimento, em que você se apega?
— Nos meus amigos.
— Mas você confia nesta raça, os seres humanos?
— Eu tenho grandes amigos.

Quanto às perguntas, se você quiser estudar mais sobre ciências e etc… recomendo o documentário Cosmos: Uma Odisseia do Espaço-Tempo, que é a versão de 2014 com o Neil deGrasse Tyson, o cara do meme. Tem na Netflix! Confesso que só consegui ver depois da terceira tentativa, quando realmente estava aberta para aquela experiência, numa fase de docs sobre alimentação e consumo. 😉 Na ciência você não precisa simplesmente acreditar, você pode estudar e saber. Tem vários canais no youtube maravilindos, mas para iniciantes eu recomendo o Nerdologia.

Save


  1. Ainda amo ir ao Templo Zulai fotografar e almoçar. Eles fazem um almoço veggie maravilhoso. Super recomendo. 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui ;)

Comentários